História do mobiliário: o antigo Egipto (2)

Há alguns dias estrenábamos seção no blog, iniciando uma história do móvel que irá tentar explicar de forma amena, mas rigorosa, a evolução do mobiliário desde o antigo Egito até os nossos dias. E é que se pode considerar que o nascimento do móvel teve lugar no Egito, civilização em que os objetos do cotidiano empregados em casa alcançam um nível de sofisticação e variedade nunca visto até então. Esta civilização, que existiu cerca de 3.000 anos antes do início de nossa era, produziu uma riqueza de mobiliário surpreendente até mesmo para o dia de hoje.
A variedade do mobiliário egípcio: as cadeiras
O mobiliário egípcio era caracterizado, entre outras coisas, por oferecer muitas opções dentro de cada tipo de armário. Por exemplo, existiu uma grande variedade de cadeiras, a mais importante das quais foi a cadeira de tesoura, um projeto que aparece em todas e cada uma das civilizações posteriores e que perdurou até aos nossos dias. Assim que carrega entre nós um mínimo de 5.000 anos!

Da cadeira de tesoura decorre uma outra mais completa e sofisticada, com o encosto mais alto e no qual se colocava, como no assento, um fofo almofada. Ambas as cadeiras apresentavam a ornamentação própria dos móveis que entravam em contato com o corpo humano: os motivos de animais.
Nesta segunda cadeira foi evoluindo, até dar lugar a um tipo de cadeira com as pernas em forma retangular, imitando perfeitamente as patas do animal que pretendiam representar e, o mais importante, apresentando um assento totalmente côncavo sobre o qual se situava a almofada, certamente com a idéia de melhorar sua ergonomia.

Finalmente, houve um último tipo de cadeira com encosto e braços, precursora dos atuais poltronas. Este tipo de cadeira é a mais elaborada e elegante de todas, e está nos palácios reais. Toda ela está cheia de belos enfeites e firulas esculturas em madeira do encosto, os lados e as pernas.
A variedade do mobiliário egípcio: as camas
Apesar de que se sabe que, já na antiga Mesopotâmia usavam as camas, não foi ao Egito que estas alcançaram uma certa sofisticação, sem deixar de ser muito simples. Foi também uma das primeiras vezes na história que se usou algo parecido com um travesseiro: encosto de cabeça, que era portátil e se chamava uol. O uol costumava ser de madeira, mas às vezes também apresentava-elaborado em alabastro ou barro. Às vezes é forraba com linho, para suavizar o contato com a cabeça e o rosto, e seu objetivo era preservar o penteado do sono, daí a sua altura e dureza.

A típica cama egípcia para dormir se chamava angarib e apresentava um simples entrelaçamento de tiras vegetais sustentado por quadros retangulares sobre o que os egípcios colocava um colchão. Sabe-se também que os baldaquinos eram uma estrutura já utilizada pelos egípcios que, na ocasião, era a altura da cama até tal ponto que não podia aceder a ela mais do que através de um banquinho ou uma escada.

Mas esse não era o único tipo de cama do que temos conhecimento, no Egito, e os egípcios já tinham camas suplementares, a que chamavam “leitos de repouso”. Estas chaise-longues primitivas eram camas mais curtas e baixas que as camas normais, e os enfeites animais estavam muito mais intensificados, acrescentando-lhe a cabeça e a cauda para umas pernas já detalhadamente trabalhadas. Também nos divãs se usavam os da uol para apoiar a cabeça.
A variedade do mobiliário egípcio: as mesas e o armazenamento
As mesas no antigo Egito costumavam ser pequenas e baixas, e as mesas redondas, em forma de flor eram as mais apreciadas, embora não as únicas. E é que os egípcios não lhes aconteceu nunca construir grandes mesas para toda a família ou para grandes banquetes, mas que comiam sozinhos ou em grupos de dois e utilizavam para isso mesas pequenas. A ornamentação que acompanhava estas mesas era a mesma que para as cadeiras –os motivos de animais–, e é conhecida a torcida para os jogos de mesa de os egípcios, assim que, em muitas ocasiões, as mesas foram utilizados para este fim.

Quanto às caixas, baús e preço, costumavam ser confeccionados em madeira e eram bastante simples. Em sua maioria, não se tallaban mas que se pintaban com ornamentos geométricos e elementos da arquitetura civil, como plena copa ou colunas. Como uma variante dos depósitos, encontramos também os móveis com gavetas, em que eram guardadas as vestes, enquanto que os troncos e os depósitos os egípcios armazenados seus objetos de higiene pessoal e beleza, assim como seus produtos de cosmética e maquilhagem.
Cofre de marfim encontrado na tumba de Tutankhamon
O que vos pareceu a variedade de móveis que havia no antigo Egito? A nós, nos deixou com a boca aberta. Durante o mês de setembro, publicaremos um novo post sobre a história do móvel no Egito, que esperamos que estejam gostando tanto quanto nós. Feliz volta às aulas!
Fontes | Wikipédia, Egiptomaníacos, Móveis Vitale.
Imagens | Clicando em cada imagem, você pode acessar sua fonte, exceto a imagem de cabeçalho que é Expresso Viagens.
Quer saber mais sobre o antigo Egito?
História do mobiliário: o antigo Egito (1)
História do mobiliário: o antigo Egipto (2)